domingo, 5 de junho de 2011

Sou Exu (Poema de Jorge Amado)

Sou fã de Jorge Amado. Ninguém jamais escreveu sobre os orixás como ele. Impossível ler uma obra sua e não se sentir imediatamente atraído pelas incríveis descrições que ele fazia de cada um. De sua percepção apurada a energia do orixá saltava em letras. Neste poema ele novamente consegue passar toda a dubiedade e marotice de Exu. Definição perfeita de um orixá ainda desconhecido por muitos e carregado de preconceitos, mas vivo, pulsante e ativo. Salve Exu e Salve Jorge Amado!




SOU EXU

Não sou preto, branco ou vermelho

Tenho as cores e formas que quiser.

Não sou diabo nem santo, sou exu!

mando e desmando,

traço e risco

faço e desfaço.

estou e não vou

tiro e não dou.

sou exu.

Passo e cruzo

Traço, misturo e arrasto o pé

Sou reboliço e alegria

Rodo, tiro e boto,

Jogo e faço fé.

Sou nuvem, vento e poeira

Quando quero, homem e mulher

Sou das praias, e da maré.

ocupo todos os cantos.

sou menino, avô, maluco até

posso ser João, Maria ou José

Sou o ponto do cruzamento.

durmo acordado e ronco falando

corro, grito e pulo

faço filho assobiando

sou argamassa

De sonho carne e areia.

sou a gente sem bandeira,

o espeto, meu bastão.

o assento? O vento!..

sou do mundo,nem do campo

nem da cidade,

não tenho idade.

Recebo e respondo pelas pontas,

Pelos chifres da nação

Sou exu.

sou agito, vida, ação

sou os cornos da lua nova

a barriga da rua cheia!...

Quer mais? Não dou,

Não tô mais aqui!

5 comentários:

Poeticagens disse...

vc poderia me informar de que livro esse poema foi retirado?? obrigada!! estou fazendo um trabalho da faculdade de história sobre Exu e gostaria de usar esse poema como epígrafe, mas para isso preciso da bibliografia...
valpoesia@hotmail.com

Dielson Teixeira Imóveis disse...

Esse poema não é de Jorge Amado, e de Jorge Cravo. Quem fez o poema para o Jorge Amado. EXU POR JORGE AMADO.

Dielson Teixeira Imóveis disse...

Esse poema não é de Jorge Amado, e de Jorge Cravo. Quem fez o poema para o Jorge Amado. EXU POR JORGE AMADO.

Dielson Teixeira Imóveis disse...

Perdão, o poema é de Mário Cravo

Dielson Teixeira Imóveis disse...

Perdão, o poema é de Mário Cravo