domingo, 16 de março de 2008

Maria Padilha das Almas


Tereza invadiu a igreja de uma forma como nunca havia feito antes. Não se benzeu e nem ao menos olhou para a imagem de Cristo, que de sua cruz, agonizante, parecia olhar diretamente para ela enquanto avançava pela nave. Precisava falar com o padre Olavo nesse instante, não havia tempo a perder. - Padre! - seu grito ecoou pelas paredes repletas de símbolos aos quais ela sempre dera imenso valor, mas que nesse momento nada mais eram que meras imagens que apontavam-lhe o dedo culpando-a pelo pecado gravíssimo que cometera. - Padreee! A voz subira de tom a ponto de atrair imediatamente o coroinha que estava a dormitar atrás do altar. - Dona Tereza! O padre Olavo foi atender um doente que precisa de extrema unção! A mulher sentou-se em uma cadeira da primeira fila e desatou em copioso pranto. O menino sem saber o que fazer correu para a rua e encontrou o padre que vinha já bem perto. - Dona Tereza está chorando como louca lá na igreja, o caso deve ser sério! - Olavo sentiu um baque no peito. - O que teria acontecido? Alguém teria descoberto? - Tudo bem Jonas, pode ir para casa que eu cuido disso. Apressou o passo e da porta ouviu o choro da mulher. - Tereza, o que houve? - Com um salto ela levantou-se e com o dedo estendido para ele gritou: - Eu estou grávida, cafajeste! Grávida de você! Como pode deixar isso acontecer? Você me jurou que isso não seria possível, que não podia ter filhos. O que faço agora? Meu nome será lançado na lama! E meu marido? Meus filhos? - Calma! - ele tentava ganhar tempo enquanto em sua cabeça as imagens passavam em turbilhão. - O que faria com essa louca? Fora ela quem o seduzira, enfiara-se em sua cama, nua, em uma tarde que gostaria de esquecer. Tentara-o com seu belo corpo e se entregara de forma avassaladora. Porque dizia que o filho era seu? Ele mesmo sabia de seus amantes, ditos em momentos de confissão muito antes da tarde fatídica. -Vamos sentar, respire fundo! Como sabe que é meu? - Falava pausadamente tentando inspirar confiança - Não pode ser de seu marido ou... de outro? - Só o que me faltava era isso - o tom subira novamente - me engravida e ainda me chama de vagabunda. Nunca mais dormi com homem algum depois de nosso encontro, meu marido viaja muito e nas poucas vezes que esteve em casa, não me entreguei a ele, por amor a você! - Depois de pensar um pouco falou: - Então não há alternativa além do aborto, procure uma dessas velhas rezadeiras e dê um jeito nisso, o que espera que eu faça? - Precisamos fugir, eu abandono tudo para ficar ao seu lado! - desesperada segurava a batina do padre com força - Teremos nosso filho longe daqui! - Tentando ganhar tempo Olavo tirou as mãos dela de sua roupa. dirigiu-se ao altar e tamborilou com os dedos sobre a branca toalha, virou-se com raiva: - Nunca! Vire-se! Você foi a culpada, me levou para a perdição agora quer acabar comigo? Como posso largar o sacerdócio e viver com uma prostituta que deita em qualquer cama com qualquer um? - Tereza deu um grito de ódio e partiu para cima do padre. Havia um punhal em sua mão. A lâmina afiada foi cravada no abdômen do rapaz que caiu de joelhos. Tereza continuava com a arma na mão manchada com o sangue do padre e foi com ela que cortou a própria jugular, tendo morte quase instantânea.
Por muitos anos o espírito de Tereza foi torturado pelas visões dessa e de outras vidas em que sempre causara sofrimento e mortes. Ao atingir um nível de compreensão adequado ao caminho evolutivo, tornou-se Maria Padilha das Almas, e ainda hoje busca ajudar a todos que a procuram tentando fazer com que novas almas não se percam como ela se perdeu por diversas vezes. Somente quem já teve contato com essa grande pomba-gira, sabe dos conselhos firmes dados por ela e da tristeza que ainda deixa transparecer em suas incorporações. Laroiê a Padilha das Almas!

Luiz Carlos Pereira

16 comentários:

sss_rrr_38 disse...

Ola Luiz, acompanho todos os textos que vc posta, atravez do orkut, e agora em seu blog, então estou fazendo esse comentario p parabeniza-lo e agradece-lo. Seus textos são de grande valia, trazendo alegria, conhecimento e momentos de reflexão. Mais uma vez, parabens.
Abraços.
Sandra

doralina disse...

Olá Luiz, muito bom,aliás como sempre! Bela história...
Triste,mas nos faz pensar! Abraços.

Marcello Claudio disse...

Luiz, meu estimado Irmão na Fé. Bonito conto. E mais uma vez acompanhado de um desfecho brutal. Vidas foram subtraídas. Parece ser este desfecho que as Pombas Giras terão que reparar em suas últimas passagens pela Terra/Matéria.
Mas que realmente faz pensar, faz sim.
Parabéns.
Um grande abraco, meu Irmão
Axé

Eliana disse...

Luiz, maravilha de texto.
Não tem nem o que comentar, é cada um mais lindo do que o outro, e faz a gente pensar e imaginar como se estivesse vivendo aquele momento.
Muito axé para você em suas caminhadas.

nega gil disse...

luiz, que história lamentavelmente triste e ao mesmo tempo bonita...
obrigada por ser um ponto de luz tão grande, que sem te conhecer fisicamente, me traz tranquilidade...
bjos gil...

Lucila disse...

Gostei muito dessa história
Nunca tinha escutado, ou lido
muito interessante e foi a primeira vez q recebi um aviso seu sobre o
seu blog, vou começar a visitá-lo mais vezes. Uma ótima semana para você.
Beijo Lucila
meu blog é lcmra.blogspot.com

Sandra Cristina disse...

Um texto envolvente,em uma narrativa melancólica como a própria estoria.
Mais um texto para reflexão comportamental.
No primeiro momento, que lemos,devemos refletir:Como paixões desenfreadas,podem nos levar a loucuras!...e de como podem atrasar a nossa evolução.
Scristina

elaine disse...

Olá luz adorei essa historia pois sou gosto de saber sobre as historias das intidades que carrego e a Maria Padilha das Almas e uma delas. é sei bem que quando estou incorporada sinto sim uma tristeza agora vc me ajudou a descobri pq obrigada Elaine

Diana disse...

Olá,Luiz,tenho sempre acompanhado seus comentários sobre nossa Umbanda,muito bem postos,seus textos são de grande importancia e momentos de reflexão.Parabenizo-lhe,um grande abraço muito Axe.
Diana

EriCk Bazilio disse...

ola luiz fiquei fascinada com essa historia . ue sou medium de encorporaçao de maria PADILUA DAS ALMAS A 16 ANOS EM UM SONHO ELA ME MOSTROU UMAS DE SUAS VIDAS OU PASSAGEM E UMA HISTORIA PARECIDA COM ESSEELA era uma mulher bela que morava no cimiterio e comverssava cons aas almas era conciderada como bruxa mas em determinadas luas lea saia para seduizir padres e seminaristas . por isso eu fiquei imprecionada com essa historia

tamyres disse...

eu adorei saber a historia da pomba gira q eu recebo!

tamyres disse...

eu adorei saber a historia da pomba gira q eu recebo!

Anderson disse...

Anderson
alguem poderia me dizer aonde eu acho mais documentos ou algo sobre Maria Padilha das Almas? preciso tirar 1 duvida, alguem por favor me indica 1 livro ou 1 site para pesquisar? desde já agradeço a sua Atenção. Anderson

LUIZ CARLOS PEREIRA disse...

Anderson, existe um livro chamado "Maria Padilha e toda sua quadrilha" de Marlise Meyer. Dê uma olhada na Net, pode ser que o ajude. Axé!

Nádia Souza disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Trabalho com Maria Padilha das almas e uma entidade seria isso tem identificação por eu ser assim também a entidade e o espelho da matéria?